2 de jun de 2010

Philia: Ateu



Darwin criou a teoria da evolução. Deus criou
 Darwin. Philia e amor são a mesma coisa.




"Ora, Tomé, um dos doze, chamado Dídimo, não estava com eles quando veio Jesus. Disseram-lhe, pois, os outros discípulos: Vimos o Senhor. Mas ele disse-lhes: Se eu não vir o sinal dos cravos em suas mãos, e não puder os dedos no lugar dos cravos, e não puser a mão no seu lado, de maneira nenhuma O crerei." João 20: 24 e 25

Acredite nesta letra de música: Bem mais que as forças, poder e reis. Que a natureza e tudo que se fez. Bem mais que tudo, criado por Tuas mãos. Deus, Tú és o início, meio e fim. Bem mais que o mares, bem mais que o sol. E as maravilhas que o mundo conheceu. E as riquezas, tesouros desta terra; incomparáveis és para mim. Por amor sua vida entregou. Meu Senhor, humilhado foi como a flor machucada no jardim. Morreu por mim, pensou em mim. Me amou.


Tudo bem, falarei sobre o que acredito. E, é claro, sobre o que aprendi a não acreditar. Não acreditar em Deus não foi simplesmente uma opção. Aos poucos Ele foi indo embora do meu discernimento. Aos poucos Ele foi ficando fictício demais. Aos poucos foi se tornando verbo de novo. E, ao meu ver, não se passa disso. Vocês não precisam saber o meu nome. Sim, sou ateu e é muito confortável e até seguro pra mim contar comigo mesmo. Leiam a minha história.


Quando era criança ia à igreja pelo mesmo motivo que todas as crianças vão: minha mãe me obrigava. Era legal e eu acreditava sim, naquela época, no tal Deus que criou tudo. Me disseram que Ele me fez. Porém, cresci e o discurso repetido da fé se tornou algo vago pra mim. Me desculpem, eu tentei, mas acreditar em algo que nunca vi é surreal demais. Poxa, na vida um mais um é igual a dois e é somente por meio desta lógica racional que as coisas se formam. Hoje estou numa situação confortável na vida, porém, nem sempre foi assim. E nas dificuldades, quando eu olhava pro céu, não via nada além de nuvens carregadas com uma terrível tempestade. Eu vivia dia após dia degustando meu sofrimento sozinho. Me perguntava: Deus não é amor? Cadê este amor?

Tive uma infância pobre e pra mim permanecer na universidade não foi fácil. Naquele lugar existe uma luta velada de classes bastante intensa. Dizem que Jesus era pobre e que Ele está vivo. Nunca o encontrei pra me defender nos momentos de desprezo verbal ou dos olhares de superioridade. Quem fez Deus? Ninguém nunca me respondeu esta questão. Observo os ditos evangélicos e a sua fé. Adoram carregar a bíblia e só. Vivem por abrir Igrejas aqui e acolá. Comercializam algo que passa longe de amor. Querem me convencer de que jeito que há algum ser supremo atrás daquilo. Prefiro ficar com Marx. Ele, pelo menos, saca a injustiça social e identifica culpados mais precisos.

Pude perceber que a Terra é apenas um planeta redondo que flutua pelo universo e que estamos sozinhos. Entro dentro do meu apartamento e não sinto nada. Desconheço essa tal “presença de Deus” na minha vida. Desesperado, sento no sofá e só sei chorar. Não vem consolo de nenhum outro lugar. A cada ano, o tempo passa mais rápido e minhas cobranças em torno dos objetivos que tracei aumentam. Uma angustia que não sei de onde vem se mudou para o meu coração. Não entendo, vejo isso acontecer também com os crentes do Todo poderoso. Crianças nascem com problemas de saúde, inocentes morrem, desastres dizimam vidas a todo momento e querem que eu acredite que exista alguém assentado num trono lá no céu assistindo tudo isso? Não, não há. E se houvesse, que amor é esse que assiste com passividade a destruição da própria criatura?

Instituições religiosas servem apenas para acumular riquezas aos seus dirigentes. Não sei ao certo os motivos da crucificação desse Jesus, sei apenas que a cruz é um símbolo pop que aliena as pessoas. Miseráveis vendem a geladeira de casa para satisfazer pastores e esses pastores compram aviões luxuosos. Pedófilos se escondem debaixo de batinas e bem lá, ainda debaixo dessas batinas, há uma criança perdendo a infância pela deturpação sexual. Isso é acreditar em Deus? Se for, graças ao vento que eu não acredito. Pois, pelo menos, o vento eu sinto o seu soprar.

Quero dizer aqui que já fiz sim força para acreditar em Deus. Ele é que não deve fazer muita força para ficar perto de mim. Conclui, então, que Ele não esta perto de mim simplesmente porque Ele não está em lugar algum. Dizem que Jesus voltaria a esta terra e este momento seria marcado por diversos acontecimentos. Todos os acontecimentos estão aí, quem não está é Jesus.

Acreditava-se que a terra era achatada, viu-se que era redonda. Acreditava-se que a lepra era algo maligno e do mal. Hoje não passa de uma doençazinha. Estamos na era da AIDS. Temos a internet que é algo extraordinário. Os seres humanos estão clonando e criando células. Não precisamos de nenhum deus, não é mesmo? Este era meu pensamento até algum tempo atrás...

Certo dia, estava atravessando a rua. Lá em cima, em um prédio, havia uma mulher louca brigando escandalosamente com o marido. Todos paravam para ver. Eu parei também. No meio da discussão, um gritava para o outro: “Vá embora, vá com Deus!” Pensei: se ele está indo com Deus, certamente estará indo sozinho; Deus não existe! Pah! Distraído na rua olhando a briga, um carro me acertou e fui pro coma no hospital. Durante o coma era como se eu não existisse. Não havia consciência. Eu não via, não ouvia, não cheirava, não sentia nada. Eu era um nada no coma. Pensei, então, que antes do coma eu enxergava, me apaixonava, sentia raiva. No coma, eu era apenas um corpo. Os sentimentos inexistiam. Fiquei em coma pois sofri uma lesão no cérebro. Uma lesão no meu consciente. Onde está o limite entre sentir e o não sentir? Onde está o limite entre amar e simplesmente não conhecer qualquer sentimento? Onde será que está o limite entre ver a luz do sol e não ver nada? Não é ver o preto total, o preto é preto. O nada é pior. No nada não há com o que se comparar. Onde está o limite entre o nada e o tudo. Preciso saber, então, meu Deus, onde está o limite entre acreditar ou não acreditar na sua existência. Fiquei chocado para com quem eu estava clamando.
[Philia] Deus existe sim. Como explicar com um mais um o amor que eu sinto. Como explicar com um tubo de ensaio o vazio dentro de mim sendo preenchido depois de um louvor lindo que era ministrado à mim naquele hospital.

Foi divino acordar daquele coma, lugar onde simplesmente não existia, para a vida, presente de Deus pra mim. Como explicar o arregalar dos olhos de tamanha felicidade pelo meu acordar naquela manhã? Como querer convencer os outros da importância do meu renascimento naquele dia em que acordei porque o Espirito Santo veio me despertar com o vento de suas asas? É impossível escrever teses científicas explicando o amor que vem de Deus pra mim toda vez que termino uma oração saciado de Sua presença. Hoje, depois do coma, acredito em Deus não porque Ele apareceu pra mim. Não. Continuo sem vê-lo, apenas me dei conta que Ele sempre existia no meu coração. Era por isso que eu tentava negar a todo instante sua existência. Se eu parasse de negar, acabaria acreditando. Parei de negar. Acredito nEle como gratidão. Ah, sabe por quê? Porque a dois mil anos crucificado numa cruz Ele se lembrou de mim com amor. Mesmo eu desmentindo sua realidade, Ele me amou. Me constrangi e amei também. Jesus e eu nos amamos. É isso.


A sutileza da existência de Deus é provada pelas batidas do seu coração. Que estas batidas sejam por retribuição à Ele. Se delicie com "Bem mais que tudo" de Aline Barros:




Philia: arranque seu coração pra fora.

* A caracterização da personagem descrita neste texto foi construída com base em experiência própria na convivência com ateus no meu meio acadêmico e artigos que li até hoje.





ROGÉRIO DE OLIVEIRA, VITÓRIA - ES
Siga-me no Twitter: www.twitter.com/garotodovale



Contador free


5 comentários:

Gente eu já estava doida aqui esperando PHILIA, e confesso que valeu muito esperar, edificante as suas palavras.

Adriana, muito obrigado por ter passado por aqui. Obrigado mesmo. Que Deus possa encher nossas vidas de Philia [amor] porque é o que realmente precisamos! Deus te abençõe! :-)

Parabéns.. Philia está demais!

Rayane, ganhadora do CD, obrigado pela visita! Fique com JESUS!

"Sejas louvado, meu Deus e Rei, todos os dias, escolherei cantar: Aleluia!"

Que essa seja a nossa declaração a Ele.
Que o nosso coração se anele a Ele de tal forma que não consigamos mais fazer a nossa vontade e persistir em nossas crenças, mas dizer sim, a visitação e ao poder de Deus, que é sobrenatural em nossas vidas,
Amém.